14 julho 2013

Os nomes da Redundância

Saí de casa e saí da maneira que eu mais detesto: com olhos embaçados que me tapavam a visão da minha própria realidade e jogando palavras-farpas nos corações alheios. Como se incompreensão fosse curada com marcas de mágoas, ou como se uma palavra de vingança fosse justiça…

O meu problema deve ser a falta de paciência, já não tenho tanta vontade de esperar pelas coisas que virão. Sei que algumas ações só terão a reação esperada depois de passado muito tempo, mas eu não sei esperar. E aí, é como se me sentasse diante de uma mesa vazia e estivesse tamborilando os dedos no tampo de madeira rústica durante séculos, durante eternidades. E nesse tempo nada aconteceu. Nada caiu na minha mesa e eu nem sequer pude me levantar dali. Na verdade, estou nessa mesa imaginária agora, apenas esperando pelo resultado das coisas que já fiz.

O problema é esse, não saber esperar.

O problema atende pelo nome de Impaciência, mas também vai olhar em sua direção se você gritar por Ansiedade. 

E que toda a redundância nos leve ao entendimento ou nos mate por repetição.

sexta-feira, 13 de julho de 2013
S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário