01 fevereiro 2013

Jornadalismo




Jornalismo é a estrada por onde quero trilhar o mundo, conhecer pessoas e histórias. Tornar-me mais humana. Mesmo que os anos passem e que a frase “More than machinery we need humanity” citada por Chaplin, deixe de fazer sentido para as próximas gerações. Que esta palavra humanidade nunca perca sua essência dentro de mim.
Espero que através da realidade as pessoas alcancem um estado de consciência e ação, revolução!  Que as pessoas deixem de serem as engrenagens desse motor desumano. E parem de apenas assistir o circo pegar fogo, espero que alguém se mova, que a Terra gire como sempre, mas algo mude dentro das pessoas, e seja refletido em seus atos. 

            Quero lapidar a neutralidade, ser uma observadora imparcial da realidade, pois não é minha intenção participar dos atuais shows de manipulação, afinal influenciar sua própria espécie pode ser suicídio. Quero fazer pensar, não que pensem um pensamento que é apenas meu.
            Meu papel será de coadjuvante diante do palco da vida, ser jornalista é unir todos os povos através da informação, do conhecimento. E essa missão não é apenas minha, “sou uma gota d'água, sou um grão de areia”, uma parte de um todo.

Daqui a dez ou vinte anos, meus pensamentos poderão ter trilhado um rumo diferente, afinal sempre temos muito que aprender e apreender da vida. 
E cada experiência é uma mudança em nós, ainda que pequena.

S. Olivx

Redação feita para a disciplina História da Comunicação - 2012 (USJT)
Tema: Meu futuro papel enquanto Jornalista



Nenhum comentário:

Postar um comentário