31 janeiro 2013

Liberdade liquída




❝As gotas de chuva são livres, o ser humano não.❞

Poéticas porém ingênuas aspas. Realmente não somos livres, mas compramos a sensação, efêmera e fugaz, de liberdade algumas vezes.
A água segue seu fluxo, há tanto tempo quanto a Terra existe. E nós.. tentamos mudar e evoluir num sentido mais metafisico.

Mas no final seremos os mesmos, apenas nossa alma estará um pouco mais degradada, gasta e suja. Como um telhado de protege o interior da casa da chuva e do sol.

A água, quando sobe, deve achar que é livre. Mas quando se dá conta de que vai descer, percebe que a liberdade é apenas isso.
A subida e a queda, que te devolve ao mesmo campo de partida.

Apesar de tudo, a chuva me dá alguma esperança, esperança de mudança, de transformação e as gotas d’água desenham poças que de maneira bizarra alegra um pouco o meu olhar.
Sem pensar em nada, o meu espirito fica renovado com a chuva.
Entendendo o mundo com os cinco sentidos, mais nada.
Sem razão.

S. Olivx

Nenhum comentário:

Postar um comentário